calculator (3).png
COTAR SEGURO

5 dicas indispensáveis para fazer o intercâmbio pela primeira vez

17/04/2019

 

 

O principal objetivo é aprender um novo idioma, mas não pense que é somente por esta razão que o intercâmbio cresceu entre os brasileiros.

 

Só em 2017 mais de 300 mil estudantes buscaram cursos em outros países, não só de línguas estrangeiras, mas também de especialização como mestrado e doutorado.

 

A pesquisa da Belta (Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio) apurou que além do inglês e do espanhol, outros idiomas como alemão, francês, italiano, japonês e mandarim também estão entre os cursos mais procurados.

 

 

Quando esta prática começou o programa de intercâmbio era basicamente uma permuta de estudantes entre dois países, onde um se hospedava na casa do outro com o intuito de estudar uma outra língua.

 

 

Com o passar dos anos este modelo mudou bastante. Atualmente não há mais a obrigatoriedade desta “troca” e, agora, pessoas de qualquer idade podem buscar programas de aperfeiçoamento, inclusive profissional e cultural.

 

Pensando em tudo isso eu listei cinco dicas que podem te ajudar nesta decisão.

 

1 - Estude o país para onde quer ir

 

Mesmo que pareça óbvio, muitas pessoas não buscam conhecer a cultura do país para onde pretendem ir. Esquecem de analisar, por exemplo, o clima da região, o tipo de alimentação, o nível de ensino, cultura ou o custo de vida.

 

Estes tópicos são importantes para que sua estadia seja confortável.

 

2 - Tenha certeza sobre o que quer fazer

 

Você quer aprender um outro idioma? Agora é o momento de analisar qual. Vamos imaginar que seu inglês seja fluente e seu intuito é aprimorar seu espanhol. Mas este curso trará benefícios no futuro?

 

 

E se a empresa que você trabalha tem negócios com a China, por exemplo? Não seria o mandarim mais interessante? Estas perguntas devem ser respondidas com muito cuidado, pois é uma decisão importante a ser tomada.

 

3 - Seguro viagem: como saber qual seguro viagem devo contratar

 

Sempre precisamos pensar em tudo, inclusive nos imprevistos, como um acidente ou uma doença. Pode ser que você precise de um médico, um dentista ou uma internação e, morando fora do Brasil, o seguro viagem é a melhor escolha.

 

Por isso, não deixe de procurar um bom consultor para fazer uma cotação de seguro viagem antes de embarcar. Ele é barato e é parecido com um plano de saúde.

 

 

Para contratar o seguro certo você saber o país de destino, o propósito e duração da viagem e as coberturas que você vai precisar. E cada país tem sua própria norma.

 

Alguns países europeus podem exigir um seguro especial que segue as regras do Tratado de Schengen.

 

Por isso quando estiver conversando com um consultor especializado você deve passar as informações detalhadas para que ele possa lhe oferecer o produto mais adequado à sua necessidade.

 

 

Lembre-se do seguinte: o que preciso proteger e que tipo de surpresas não quero ter? Agora fique atento ao seguinte! Seguro para intercâmbio tem coberturas que devem ser colocadas em foco, ou seja, as médicas. 

 

O período de estadia de um intercambista é muito maior que de uma simples viagem de férias, por isso, as coberturas a seguir devem ser priorizadas na contratação de um seguro para intercâmbio: gastos médicos, hospitalização, fisioterapia, ortopedia, odontologia, roubos de bagagem, entre outras.

 

4 - Como tirar o visto para estudante

 

Para tirar o visto o primeiro passo é buscar informações sobre as regras de cada país em sua respectiva embaixada. Lá você encontra procedimentos, exigências, documentação necessária e valores.

 

Por exemplo, para os Estados Unidos um visto de estudante só é concedido para um intercambista que provar que seu curso terá mais de 18 horas semanais de aula. O visto é o F1 e vence assim que o programa de estudos terminar.

 

 

Mas ele permite que você permaneça um pouquinho mais. O grace period funciona mais ou menos assim: você opta por um curso de 10 meses e pode permanecer até um ano no país. Atualmente o custo para tirar o visto de estudante custa cerca de US$ 360,00.

 

5 - O que preciso resolver no Brasil antes de viajar

 

Se você já se sustenta e mora sozinho (a), mudar para outro país requer algumas ações com relação a linha de celular, bancos, cartões de crédito, contas fixas como água ou luz, automóvel, casa, enfim, é preciso pensar o que fazer com tudo isso enquanto estiver fora.

 

Claro que se você ainda mora com seus pais isso fica um pouco mais fácil. Mas se não for o caso, pense se não é melhor encerrar as contas, interromper fornecimento de água e luz, alugar a casa ou até vender o carro, quem sabe! É preciso analisar prós e contras.

 

Agora é colocar tudo isso em prática! Boa sorte e sucesso!

 

 

 

 

Please reload

Mais lidos
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Please reload

10

QUEM ESCREVE OS ARTIGOS

Olá, sou o Lucas Amaro. Sou formado em Administração de Empresas e na Escola Nacional de Seguros. Tenho 30 anos e trabalho com seguros desde os meus 17 anos. Se tiver alguma dúvida pode me enviar por e-mail:

lucasamaro@cobrasguros.com.br.

COTAÇÃO
RÁPIDA
Please reload

Você também pode gostar