top of page
  • Escrito por Lucas Amaro

O seguro das 10 motos mais roubadas no Brasil


motos-mais-roubadas-brasil

De acordo com o site da Susep, o último índice de veículos roubados (tanto motos como carros) foi em 2020. Ou seja, Não existem dados muito fieis após esse período até o momento.


Se você não conhece, Susep é o órgão que regulamento o mercado de seguros no Brasil, então é a melhor empresa que poderia nos informar quais são as motos mais roubadas do Brasil.


Isso porque ela consegue analisar os dados de todas as motos que fizeram seguro e tiveram um sinistro de roubo ou furto. Então lembre-se, essa pesquisa está considerando esses dados na análise.


"...quanto maior o número de motos nas ruas, maior será a assertividade do índice."

Porém, mesmo estando com 2 anos de atraso, podemos notar a relação das informações fornecidas pela Susep com mais outras duas: as motos mais vendidas no Brasil e o preço médio de seguro de cada modelo.


Assim, podemos identificar uma forte relação entre os dados que iremos ver nessa pesquisa com os modelos de motos mais roubados.


É importante você saber que, quanto maior o número de motos expostas nas ruas, maior será será a assertividade do índice.


Motos Honda até 450cc são as mais procuradas pelos bandidos


Não é novidade que motos de baixa cilindradas são os modelos mais procurados pelos assaltantes. A Honda sé a marca mais roubada está ligada, principalmente a dois fatores: fáceis de serem transportadas e quantidade de motos da rua.


Segundo o site da Fenabrave, em 2020 foram emplacadas 1.032.377 motos da Honda, considerando apenas modelos 0km. E segundo o site da Susep, 3.528 motos até 450cc foram roubadas.


Agora vem um dado interessante: a Honda CG 160 lidera o ranking de vendas aqui no Brasil há muitos anos. Em 2020 foram xxx.xxx unidades, em 2021 xxx.xxx unidades e 2022 383.016 unidades.


Ou seja, podemos considerar que a Honda CG 160 é a moto mais roubada do Brasil, independente da região do Brasil.


Confira abaixo quais foram as 5 motos da Honda até 450cc mais vendidas no Brasil no último ano de 2022. Elas também são as motos mais procuradas pelos bandidos:


  1. Honda CG 160 - 383.016 vendidas;

  2. Honda Biz - 195.264 motos vendidas;

  3. Honda NXR 160 - 142.513 motos vendidas;

  4. Honda Pop - 128.209 motos vendidas, e;

  5. Honda CB Twister - 42.725 motos vendidas.


Cruzando os dados fornecidos pela Susep e Fenabrave, podemos considerar que essas são as motos mais roubadas no Brasil hoje. Consequentemente, o preço de seguro será o mais caro (dentro da sua categoria). Confira a tabela abaixo:


motos-honda-ate-450cc-mais-roubadas

Claro, vale lembrar que o preço de seguro vai sempre variar de acordo com as informações de cada pessoa: sexo, idade, CEP, estado civil, utilização, garagem e pontuação do CPF. Se quiser saber o valor do seguro da sua moto clique aqui e cote.


Motos Yamaha até 450cc são a segunda opção dos bandidos no Brasil


Assim como na Honda, as motos da Yamaha de baixa cilindradas também são as preferidas pelos assaltantes, somando cerca de 897 modelos roubados e/ou furtados em 2020.


O modelo mais vendido da marca é a YBR 150, em 2022 foram 37.175 unidades vendidas, considerando apenas o modelo 0km.


Confira quais foram as motos da Yamaha até 450cc mais vendidas no Brasil em 2022:


  1. Yamaha YBR 150 - 37.175 motos vendidas;

  2. Yamaha Fazer 250 - 33.966 motos vendidas;

  3. Yamaha XTZ 250 - 26.556 motos vendidas;

  4. Yamaha YS 150 Fazer - 21.897 motos vendidas, e;

  5. Yamaha NMax - 17.4622 motos vendidas.


Novamente, cruzando os dados fornecidos pela Susep e Fenabrave, podemos considerar que essas são os modelos de motos também mais procurados pelos bandidos hoje. Assim, o preço de seguro será o mais caro (dentro da sua categoria). Confira a tabela abaixo:


motos-yamaha-ate-450cc-mais-roubadas

Vale lembrar novamente que o preço de seguro vai sempre variar de acordo com as informações de cada pessoa: sexo, idade, CEP, estado civil, utilização, garagem e pontuação do CPF. Se quiser saber o valor do seguro da sua moto clique aqui e cote.


São Paulo é o estado com o maior índice de roubo e furto de motos do Brasil


Claro, isso não é surpresa. É o estado com a maior densidade demográfica do país, e também um dos mais perigosos, fato. Segundo dados da Susep, e 2020 foram roubadas 1.879 motos. Lembrando que estamos falando apenas de modelos que tinha seguro.


Consegue imaginar quantas motos roubadas ou furtadas que não tinha seguro? Muitas! A maior frota de motos está na cidade de São Paulo, sendo umas das capitais mais caras para seguro de moto do Brasil.


Segundo dados apontados pela Segurança Pública do Estado de São Paulo, os casos ocorrem com maior frequência no período da noite, e o dia da semana preferido pelos bandidos é na quarta-feira.


Confira as regiões do estado de São Paulo que mais ocorrem os roubos e furtos de motos:


  • Região metropolitana: 1.879 casos;

  • Ribeirão Preto e demais municípios de Campinas: 279 casos;

  • Grande Campinas: 206 casos;

  • Vale do Paraíba e Ribeira: 171 casos, e;

  • Litoral Norte e Baixada Santistas: 116 casos.


Estados com maior número de roubo e furtos de motos


Bom, claro que existem diferenças nos índices de roubo e furto de motos entre cada região do Brasil. E não é surpresa falar que São Paulo e Rio de Janeiro lideram o ranking das cidades mais perigosas.


Em 2020, o estado de São Paulo teve 2.651 casos de roubo e furto de motos (segundo a Susep), e o Rio de Janeiro 408 casos. Fazendo uma análise com a cidade de


Número de roubo e furto de motos por estado:


  • Acre: 12 casos;

  • Alagoas: 21 casos;

  • Amazonas: 7 casos;

  • Amapá: 0 casos;

  • Bahia: 356 casos;

  • Ceará: 132 casos;

  • Brasília: 50 casos;

  • Espírito Santo: 148 casos;

  • Goiás: 53 casos;

  • Maranhão: 40 casos;

  • Minas Gerais: 267 casos;

  • Mato Grosso do Sul: 5 casos;

  • Mato Grosso: 54 casos;

  • Pará: 48 casos;

  • Paraíba: 57 casos;

  • Pernambuco: 342 casos;

  • Piauí: 46 casos;

  • Paraná: 192 casos;

  • Rio de Janeiro: 408 casos;

  • Rio Grande do Norte: 206 casos;

  • Rondônia: 4;

  • Roraima: 1 caso;

  • Rio Grande do Sul: 101 casos;

  • Santa Catarina: 18 casos;

  • Sergipe: 45 casos;

  • São Paulo: 2.651 casos, e;

  • Tocantins: 7 casos.


5 Dicas para ajudar a evitar o roubo da sua moto

1. Coloque uma trava

Por mais que tentem os projetistas, ainda não nasceu uma trava de guidão que resista a um ladrão habilidoso. Por isso quanto mais obstáculos melhor, associando pelo menos mais uma trava à original. Existem infinitos dispositivos criados para proteger motos estacionadas, escolha algo prático, rápido e fácil de colocar ou tirar.

2. Escolhe bem o local aonde estacionar

Deixar sua moto estacionada na rua será praticamente inevitável em algum momento. Evite ruas desertas, elas são um convite para bandidos, a noite então é pior ainda. Escolha um lugar onde haja algum movimento nem que isso te obrigue a andar um pouco mais para chegar onde você quer ir.

3. Garagem

Se você mora em casa encontrar um lugar para deixar ela é fácil, mas caso more em condomínio isso pode ser um pouco mais difícil, muitas vezes não possuem vagas disponíveis.

4. Alerta

Regra básica de todo o motociclista é 100% atenção. Isso vale tanto para os aspectos de pilotagem em si quanto a segurança. Circular na madrugada em lugar deserto e ainda por cima distraído é pedir para dançar.


Não é preciso exagerar na velocidade, bastando ficar atento e andar despachado, e não no estilo "procurando endereço".


5. Seguro de moto


Por último mas não menos importante é um seguro de moto. Seguir todos os passos acima com certeza irão te ajudar evitar o roubo e furto da sua moto, mas irá garantir 100%.

Como foi calculado o preço de seguro?


Para chegar no preço médio de seguro para cada moto levei em consideração o perfil de principal motorista homem (o custo geralmente é maior do que mulher), com 35 anos, solteiro, com garagem fechada em apartamento e no trabalho.

Considerei a cobertura de seguro exclusiva roubo e furto, pois alguns modelos possuem restrição de aceitação na cobertura total (que incluí danos parciais) em algumas cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro.


Usei na pesquisa as cinco capitais com o maior número de população, que são: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador e Fortaleza.


Calculei o preço de seguro considerando a região central de cada cidade, somei o valor total e fiz a divisão pelo mesmo número de capitais.

Comments


bottom of page