calculator (3).png

Como fazer o seguro de câmera fotográfica profissional?


Instrumento de trabalho, ou não, uma câmera fotográfica é um equipamento não muito barato e que cada vez mais conta com recursos e alta tecnologia.

Estas inovações fazem com que o preço de algumas câmeras chegue a custar mais do que um carro popular. A única maneira de evitar um prejuízo considerável, com a perda total de algo tão caro, é contratar um seguro.

Mas você deve estar se perguntando se vale a pena fazer um seguro de câmera fotográfica. A resposta é sim. Os riscos que um equipamento portátil corre são muitos.

Sabendo disso e com o objetivo de alcançar este nicho de clientes, as seguradoras criaram um produto que garante proteção para quem usa câmeras fotográficas tanto para registrar momentos marcantes com a família, quanto para o profissional que trabalha na área da fotografia.

COMO FUNCIONA O SEGURO PARA CÂMERAS FOTOGRÁFICAS?

Não tem muito segredo e qualquer pessoa, ou empresa, pode contratá-lo. Numa mesma apólice você pode incluir vários equipamentos. E as coberturas não são limitadas ao Brasil. Você pode estendê-las para outros países.

A vigência é de um ano, como na maioria das apólices, e neste período é possível incluir, excluir ou substituir equipamentos. Os acessórios também podem ser incluídos: lentes, tripés, etc.

O QUE É IMPORTANTE SABER ANTES DE CONTRATAR?

Coberturas do seguro:

- Básica: Estão cobertos pela apólice todos os danos físicos ocasionados ao equipamento por incêndio, raio, acidente, impacto ou tentativa de roubo de veículos;

- Ampliada: O segurado pode incluir danos elétricos (curto-circuitos, descargas e oscilações de energia) e roubo ou furto qualificado (violência ou arrombamento). Há exceção para os equipamentos que são esquecidos dentro do carro.

- Internacional: Muito indicada para quem está sempre viajando a lazer ou a trabalho, esta cobertura opcional abrange os países estrangeiros.

- Acessórios: Também é opcional e protege os itens que estejam informados na apólice.

COMO CONTRATAR O SEGURO?

1° Procure um consultor de seguro especializado;

2° No momento de pedir a cotação do seguro da câmera, passe os seus dados, ou da empresa;

3° Tenha em mãos todas as informações do equipamento, nota fiscal, ou Invoice e os dados para pagamento;

4° Solicite detalhes de todos os tipos de cobertura;

5° Explique, detalhadamente, como utiliza sua câmera e para quê;

6° Peça que o consultor lhe ajude a escolher o melhor seguro para suas necessidades;

7° Caso o equipamento esteja em nome de terceiros você deverá apresentar uma carta (doação ou compra e venda) devidamente assinada e com firma reconhecida.

Importante: Câmeras com mais de cinco anos não são aceitas. A data considerada é a que consta na nota fiscal. Outras exclusões, consulte um corretor de seguros.

QUANTO CUSTA?

O custo do seguro para câmera fotográfica (profissional ou não), varia de acordo com a marca, modelo do equipamento e utilização. Outro fator que impacta diretamente no valor é a cobertura que você irá escolher para atender as suas necessidades.

Geralmente o custo do seguro fica em entre 5% e 8% do valor do equipamentos, variando conforme a idade e também a utilização.

Viu só como é importante ter seguro de um equipamento portátil? Agora é hora de falar com um profissional especializado para esclarecer todas as suas dúvidas e pedir uma cotação.

Artigos mais lidos
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10

QUEM ESCREVE OS ARTIGOS?

Olá, sou o Lucas Amaro. Sou formado em Administração de Empresas e na Escola Nacional de Seguros. Tenho 32 anos e trabalho com seguros desde os meus 17. Se tiver alguma dúvida pode me enviar por e-mail:

lucasamaro@cobrasguros.com.br.

COTAÇÃO
RÁPIDA